O Brasil chegou a um total de 141.406 mortes e 4.717.991 casos oficialmente confirmados de covid-19, segundo o boletim do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) no sábado (26/09). Desse total, foram registrados nas últimas 24 horas 869 óbitos e 28.378 novos casos da doença. O Estado com o maior número de óbitos é São Paulo (35.063), seguido por Rio de Janeiro (18.247) e Ceará (8.913).

O Conass criou uma plataforma para registrar os dados sobre o novo coronavírus no país após o Ministério da Saúde ter passado a divulgar, no início de julho, os números de forma menos detalhada.

Após a controvérsia causada pela mudança e uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o assunto, a pasta recuou e voltou a divulgar os números completos.

O Brasil ultrapassou a marca de 100 mil mortes por covid-19 no dia 8 de agosto e continua como o segundo país do mundo com maior número de mortes na pandemia do novo coronavírus, depois apenas dos Estados Unidos, que tem mais de 202,5 mil mortes pela covid-19, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

O Brasil foi superado em número de casos, entretanto, pela Índia, (5,7 milhões), agora em segundo lugar depois dos EUA (6,9 milhões de casos).

Mudanças e atraso na divulgação de dados

painel covid-19, do governo, que costumava trazer diversos dados e gráficos sobre a doença, ficou fora do ar por algumas horas entre os dias 5 e 6 de junho. Quando voltou, trazia apenas os dados das últimas 24 horas e não fazia referência ao total de mortes.

Diversos dados detalhados deixaram de ser exibidos.

Três dias antes, o horário de divulgação do material havia passado do início da noite para as 22h, inicialmente por “problemas técnicos”, de acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, e, dois dias depois, porque os dados informados pelas secretarias estaduais de saúde precisariam “de checagem junto aos gestores locais”.

Perguntado na ocasião sobre alterações no horário de divulgação, Bolsonaro brincou com o horário do Jornal Nacional, da TV Globo, normalmente exibido por volta de 20h30.

“Acabou matéria no Jornal Nacional?”, disse, rindo.

“Mas é para pegar o dado mais consolidado, e tem que divulgar os mortos no dia. Por exemplo, ontem, praticamente dois terços dos mortos eram de dias anteriores, os mais variados possíveis. Tem que divulgar o do dia. O resto consolida para trás. Se quiser fazer um programa do Fantástico todinho sobre mortos nas últimas semanas, tudo bem.”

BBC NEWS

Leave A Reply

Please enter your comment!
Please enter your name here